Runas como oráculo – Parte 1

 

burst

 

Fórmula oracular para pesquisar um assunto:

Para aprofundar determinado assunto, uma fórmula que uso é, após a devida abertura dos trabalhos, com preces de limpeza e proteção, mentalizar a questão e lançar 3 pedras na toalha, a mensagem deve ser interpretada como um todo.

Na sequência, deve ser feita uma pergunta que complementará o que as runas  responderam, e, logo abaixo, mais 3 pedras serão lançadas (se vierem 4 pedras interprete as 4, essa fórmula deve ser repetida até que tudo seja esclarecido.

 

Normalmente, são necessárias de 3 a 4 repetições. 

 

 

Sobre Odin

Odin

” Existe um local chamado Hlidskjálf, e quando Odinn ali se senta em seu trono, avista todos os mundos e a conduta de todos os homens, compreendendo tudo aquilo que vê.
Sua esposa, a filha de Fjorgvin, era chamada Frigg, e dessa família descende toda estirpe que habita o antigo Ásgard e seus reinos.
Nós chamamos os membros dessa família de AEsir e todos eles são divinos. Por isso, pode ser ele, Odinn chamado Alfoor, pois é o pai de todos os deuses, homens e tudo aquilo criado por seu poder.
A terra foi sua filha e esposa, e com ela teve seu primeiro filho, Asabórr.
Poder e força são as características de Thorr e com elas ele domina todas as criaturas vivas.”


Trecho da Edda em prosa de Snorri Sturluson.

Runas e Cura

  

 

O equilíbrio emocional pode ser auxiliado com o uso das runas.
   Escrever o nome em símbolos rúnicos,   fortalece a energia vital.
   Desenhar as runas em locais que precisam ser curados fazem com que seja  absorvido o que há de energia densa e se inicia o processo de purificação.
   Ao dispor as runas nas casas da mandala astrológica, haverá a regeneração daquela área.
   O mesmo se dá ao utilizar as runas para problemas físicos.
   Algumas dessas práticas é possível que tenham sido utilizadas no passado, havendo citações  encontradas em textos antigos e em achados arqueológicos.
   Mas seu uso deve se restringir à quem tenha vasta experiência com o assunto, podendo haver efeitos contrários do que se espera, caso curiosos se atrevam a brincar.

“Runas não devem ser gravadas,
salvo se souber lê-las bem,
pois muitas um homem gravou
sobre um bastão escuro e errou,
vi um fragmento de osso de baleia
dez bastões escuros gravados
errastes e tens que reparar o erro
causador de moléstia prolongada”

sobre Egill Skallagrimsson
(Saga de Egill)      

Consulta de Runas

atuais runas

Consulta de Runas com Carmo Tavares:

    A consulta visa o autoconhecimento, pois é com ele que se torna possível entender quais são os talentos que podem ser explorados e os desafios que precisam ser superados para que haja crescimento pessoal.

Runas são símbolos que têm sua origem na infância da humanidade e, portanto, estão registradas em sua memória ancestral; quando lançadas, despertam energias que auxiliarão no desbloqueio daquilo que pode estar impedindo a evolução.

É feita a avaliação do caminho de destino numerológico, assim como do ano pessoal, estas informações, se unem harmoniosamente com a mandala rúnica, pois revela se o momento é de colher ou plantar, iniciar ou finalizar, por exemplo.

astro

O Mapa Astrológico Natal então é interpretado para o entendimento  do que o céu disse no horário do nascimento; a mandala astrológica é analisada, então as Runas são lançadas para que haja uma melhor percepção do presente e da resposta ao céu natal, ou seja, como se vive a carta do seu mapa estelar. 

Há uma análise dos aspecto da vida, iniciando-se, a partir daí, uma pesquisa profunda, com o oráculo rúnico e a comparação com os mapa astrológico natal, em busca da origem de possíveis obstáculos.

Limpezas vibracionais são feitas durante o atendimento, com a utilização da radiestesia, para que sejam superados traumas passados, dissolvidos cordões energéticos para que as experiências passadas sejam melhor compreendidas e surja uma nova luz sobre as escolhas futuras.

Para maior eficácia do tratamento, há a indicação de uma fórmula floral.

 A consulta termina com uma bênção espiritual.

Esse processo todo dura de 3 a 4 horas, normalmente.

 Agende sua consulta pelo telefone e whatsapp +351 962411774 ou mande um email para carmo@agrutadosol.com.br ou erinlagus@gmail.com

Que sempre tenhas palavras cálidas em um anoitecer frio, uma lua cheia em uma noite escura e que o caminho sempre se abra à tua porta.

Carmo Tavares

Runas

pedra-runica

Runas são símbolos antigos, tem sua origem nas tradições pagãs e, segundo os achados arqueológicos, utilizadas por religiões politeístas da Europa, alguns caracteres datam do período Paleolítico.

Quando utilizo as runas em forma de oráculo, percebo que dificuldades e bloqueios que se revelavam no início da consulta são amenizados, pelo simples fato de lançá-las na mandala.

Qualquer runa que surge invertida, pode transformar-se em energia positiva se acionarmos seu poder original.

O ideal é que busquemos a razão raiz do problema para purificar a questão.

Essa limpeza pode ser feita de várias maneiras:

por meio do pêndulo, pedras e cristais, banhos de ervas,  florais, inscrevendo as runas corretas num gráfico radiestésico ou num círculo de poder,  por meio de mantras,  orações e decretos,  fazendo conexões junto da natureza, utilizando cromoterapia,  aromaterapia, etc.

O mais importante é que se tenha consciência da necessidade de resolver o problema dentro de nós.

Penso que a principal função de um oráculo é o autoconhecimento, permitindo-nos descobrir nossos reais talentos, nossas dificuldades, onde estão nossas alegrias e qual nosso caminho nesta aventura que é viver neste lindo planeta.

Carmo Tavares

Sobre conexões

580

Como musicista, percebo que é preciso conhecimento, técnica e muito estudo para que alguém se torne um  músico de verdade, quando isso se dá e o instrumentista se apropria de tal universo – se é que isso seja possível- chega o momento do mergulho do músico em sua música, isso o conecta com a própria alma e ele passa a dar o seu tom, e então, o músico e sua música passam a ser um só.

Refletindo sobre isso ao tocar, relaciono essa conexão com quase todas as coisas, especialmente as do universo espiritual. Penso sempre em energias, podemos ter nascido na África, Europa, Brasil, e, portanto, temos uma comunhão com as forças energéticas daquele lugar, fazemos parte da mesma egrégora, mas, no que se refere ao espírito, há uma outra afinidade, talvez até mais verdadeira, já que vem do coração, mas, ao mesmo tempo, não podemos negar a força da terra em que nascemos e nossa união com ela e sua história e há ainda uma terceira conexão, a herança anscestral, de sangue, de família,e é como se esses tres princípios caminhassem juntos e em espiral, ora estreitamente unidos, ora definidos, cada qual com sua egrégora.
Partindo desse princípio, atrevo-me a relacionar divindades, não pensando em sincretismo, que nos remete ao ecletismo, mas à fonte, a fonte energética daquela divindade, aí sim, entendo e me conecto.
Não falo do que não conheço nem do que não sinto, portanto, para mim, pessoalmente, consigo relacionar plenamente, por exemplo, Odin, meu grande mestre espiritual das runas, pois é com ele que converso, na mesma frequência de Ossoxi, meu pai nesta vida, divindade das matas e conhecimento, do panteão indígena, portanto da terra onde nasci, assim como Odin, Xamã e pai do conhecimento.
Há também um carinho especial com o celtismo, meu pai nascido em uma pequena aldeia de Portugal,me legou a música e a alma celta e hoje, retornei à casa de origem e reverencio também Atégina, deusa local. São as minhas conexões.

Ritual de passagem – a consagração das runas –

   
  As runas, segundo a *Edda Poética, foram encontradas por Odin
em seu ritual de passagem.
 Após permanecer nove dias  e nove noites, ferido por sua própria lança, pendurado de cabeça para baixo, sem beber e sem comer, encontra os caracteres rúnicos.

  Para poder conhecê-las, entrega seu olho direito para o Senhor do Conhecimento, Mimir, guardião da fonte da sabedoria, cujo nome significa “Aquele  que  pensa”, e
assim, obtém o conhecimento sobre as runas secretas.

Da mesma maneira, para entrar em um contato profundo com cada um dos ideogramas, cada qual vivencia seu próprio ritual, algumas vezes auto-imposto, como no caso de Odin e, noutras, jogado pela vida, como no meu caso.Pode ser realizado com um contato profundo no universo de cada runa, aliado ao processo de busca interior.
  
O melhor, então, é vivê-las:



 Fehu 

Pede trabalho e esforço; pode-se encontrar na natureza o que mais se  adequa a confecção do  jogo pessoal, que pode se pintado ou esculpido em pedras, entalhado em madeira, pintado em conchas ou pirografado em sementes; aconselho, também, um ritual para a execução desta tafera, que pede silêncio, reflexão sobre seu significado e entonação do som do nome de cada uma.

Uruz

Exige posse – aquele jogo será seu.
Então, aconselho colocá-lo na terra, para que seja imantado; em seguida, no sol, para ser energizado e banhado pela lua, para que receba a força do magnetismo lunar.

Thurisaz

Adverte para o pensamento racional, justo, preciso, de cada símbolo; então, o estudo se faz necessário – ler, aprender e pesquisar.

Ansuz

Entender a sabedoria divina de Odin, conhecimento esse que pode nos chegar através de sonhos; sugiro  dormir com cada pedra sob o travesseiro, meditar sobre seu significado e relacionar as mensagens com os acontecimentos do dia.

Raido

Ir além; estudar tanto a cultura Nórdica como o conceito que cada símbolo poderia ter na Escandinávia no passado longínquo  – viajar, usar as runas para perguntar sobre tudo o que se deseja alcançar e conhecer.

Kenaz,

Iluminação; nesse momento, acender uma luz sobre a vida, questionando e refletindo a jornada que se inicia, como por exemplo:

-o que estou fazendo?

que responsabilidade estou disposto a assumir?

-quais meus medos?

-o que sei-de alma?

-o que mudar?

-qual  verdade  persigo?

-com o que meu uno?

-o que me dá prazer?

-o que me impede?

-sobre o que silencio?

-o que me faz falta?

-o que colho?

-invoco meu Mestre.

-escolho meu caminho.

-faço uma prece pedindo proteção.

-peço iluminação.

-firmo meu propósito.

-purifico o passado.

-dou o primeiro passo.

-planto nova semente.

          

conecto-me com minha intuição.

-estou pronto para me conhecer.

-vivo com fé, minha transformação.

-agradeço aos ancestrais e lhes peço auxílio.

Gebo,

União; hora de conectar com a alma e sentir a ligação com cada um dos ideogramas, escrevendo o próprio nome em rúnico e, assim, saber mais sobre si mesmo.

Wunjo,

A consagração:
Escolher uma data significativa; uma lua crescente ou cheia, de preferência numa quarta-feira, dia consagrado a Odin; se possível, numa festa também do sol, como um equinócio ou solstício, e numa festa do céu – seria mágico  poder unir tudo numa só data.
Flores, velas, pedras, incensos, ervas, música e água, adornarão a toalha, cujas runas, espalhadas numa  mandala benéfica, coroarão a cerimônia de consagração.

Início:

Prece a Odin

“Senhor Odin, Mestre e Guardião das Runas  secretas, hoje  invoco teu poder e peço que guarde e abençoe este jogo de runas para que sempre seja utilizado de forma construtiva, que oriente minhas mãos, meus pensamentos e meu coração, e permita que minhas questões sejam respondidas com verdade e sabedoria que isso me faça melhor para que eu plante as melhores sementes e colha o que me for devido.


Salve Odin!” 


Caso preferir, pode-se homenagear também outros deuses. 


Com a vela acesa, andar em torno da mandala rúnica, dando sete ou nove voltas inteiras; recolocar a vela em seu castiçal, sentar-se em contemplação, mentalizando o trabalho e entoar o nome de cada runa, criando, assim, uma melodia mágica e secreta.

Pedir ao  Senhor Odin que abençoe as runas e proteja a oferenda.
Quando a vela terminar de queimar, beber a água como se, assim, fosse absorvido o conhecimento – então, a cerimônia terá chegado ao fim, as runas serão guardadas num saquinho, junto de uma ametista e uma selenita e a toalha dobrada – e a caminhada continua, pois ainda  faltarão dezesseis  runas para concluir o ritual de passagem.


  *A   Edda Poética e a Edda em prosa são as mais importantes fontes de informação sobre mitologia Nórdica.

Oráculo

ptrQuando utilizo as runas em forma de oráculo, percebo que dificuldades e bloqueios que se revelavam no início da consulta são amenizados, pelo simples fato de lançá-las na mandala.

Qualquer runa que surge invertida, pode transformar-se em energia positiva se acionarmos seu poder original.

O ideal é que busquemos a razão raiz do problema para purificar a questão.

Essa limpeza pode ser feita de várias maneiras:

por meio do pêndulo, pedras e cristais, banhos de ervas, florais, inscrevendo as runas corretas num gráfico radiestésico ou num círculo de poder, por meio de mantras, orações e decretos, fazendo conexões junto da natureza, utilizando cromoterapia,  aromaterapia, etc.

O mais importante é que se tenha consciência da necessidade de revolver o problema dentro de nós.

Penso que a principal função de um oráculo é o autoconhecimento, permitindo-nos descobrir nossos reais talentos, nossas dificuldades, onde estão nossas alegrias e qual nosso caminho nesta aventura que é viver neste lindo planeta.

O poder das runas

Alfabeto construído a partir de inscrições rupestres, as Runas revelam-se autênticos ideogramas.
Podemos dizer que fazem parte da geometria sagrada pois emitem ondas eletromagnéticas e despertam as energias da terra, do espírito dos animais totêmicos, das árvores sagradas, do sol e da chuva e também do fogo, das águas e dos ventos.
O simples fato de escrever um nome em caracteres rúnicos , auxilia no processo de cura, limpeza e energização do ser.