Runor – Elder Furthak

Primeiro sistema escandinavo de escrita no período proto germânico.

Os caracteres são encontrados nas cavernas, como símbolos rupestres e, posteriormente, em armas, pedras e objetos, como o pente de harja, objeto mais antigo contendo símbolos rúnicos, datado do ano 160 da era comum.

. Contando com 24 caracteres, cujos nomes utilizados para cada runa, é uma conjuntura da Runologia, pois na época em que este sistema foi utilizado, ninguém registrou seus nomes.

Seus nomes são uma conclusão mais recente, baseada na gramática da época.

Publicidade

Esclarecimento – Runa em branco

 

Mencionada pela primeira vez por Ralph Blum, escritor americano,  no “Livro de Runas”, em 1982:

“As pedras rúnicas com que trabalhava tinham vindo para mim da
Inglaterra: pequeninos retângulos acastanhados, pouco maiores do que uma
unha de polegar, com os glifos riscados nas superfícies…
Juntamente com este conjunto de Runas vieram duas folhas xerox,
fornecendo o significado aproximado dos glifos em inglês, mais uma breve
interpretação de cada Runa, quando “em pé” ou “invertida”. As vinte e quatro
Runas originais fora acrescentada uma Runa em Branco, sem inscrições,
representada simplesmente como o Caminho do Carma: aquilo que é aquilo que é
predestinado e não pode ser evitado. Assuntos ocultados pelos deuses. “

Assim sendo, ela não é citada em nenhuma saga norueguesa, nem dinamarquesa, nem sueca, em  nenhum texto proto nórdico, proto germânico, nem tampouco anglo-saxão. Não há nenhuma referência nas Eddas  nem no Hávamal, nem na Yglinga Saga ou na Voluspá.

Não aparece em nenhum achado arqueológico, seja pedra, pente, joia ou arma.

Não consta de nenhum sistema rúnico, nem do Elder Futhark, nem do Younguer Futhark, nem do Fothork. Dentro do estudo da Runologia, a runa em branco não existe!

Posto os caracteres rúnicos serem caracteres, não faz nenhum sentido haver um em branco.

Sobre seu hipotético significado: Karma, o que está nas mãos do destino, de Odin.

Na religião escandinava não há o conceito de Karma, que  significa ação, em sânscrito (antiga língua sagrada da Índia) é um termo vindo da religião budistahinduísta jainista, adotado posteriormente também pelo espiritismo.

Para significar Odin, o poder incitador, Deus nórdico,  há outra Runa, Ansuz .

 

Runas como oráculo – Parte 1

 

burst

 

Fórmula oracular para pesquisar um assunto:

Para aprofundar determinado assunto, uma fórmula que uso é, após a devida abertura dos trabalhos, com preces de limpeza e proteção, mentalizar a questão e lançar 3 pedras na toalha, a mensagem deve ser interpretada como um todo.

Na sequência, deve ser feita uma pergunta que complementará o que as runas  responderam, e, logo abaixo, mais 3 pedras serão lançadas (se vierem 4 pedras interprete as 4, essa fórmula deve ser repetida até que tudo seja esclarecido.

 

Normalmente, são necessárias de 3 a 4 repetições. 

 

 

Runas e Cura

  

 

O equilíbrio emocional pode ser auxiliado com o uso das runas.
   Escrever o nome em símbolos rúnicos,   fortalece a energia vital.
   Desenhar as runas em locais que precisam ser curados fazem com que seja  absorvido o que há de energia densa e se inicia o processo de purificação.
   Ao dispor as runas nas casas da mandala astrológica, haverá a regeneração daquela área.
   O mesmo se dá ao utilizar as runas para problemas físicos.
   Algumas dessas práticas é possível que tenham sido utilizadas no passado, havendo citações  encontradas em textos antigos e em achados arqueológicos.
   Mas seu uso deve se restringir à quem tenha vasta experiência com o assunto, podendo haver efeitos contrários do que se espera, caso curiosos se atrevam a brincar.

“Runas não devem ser gravadas,
salvo se souber lê-las bem,
pois muitas um homem gravou
sobre um bastão escuro e errou,
vi um fragmento de osso de baleia
dez bastões escuros gravados
errastes e tens que reparar o erro
causador de moléstia prolongada”

sobre Egill Skallagrimsson
(Saga de Egill)      

Runas

pedra-runica

Runas são símbolos antigos, tem sua origem nas tradições pagãs e, segundo os achados arqueológicos, utilizadas por religiões politeístas da Europa, alguns caracteres datam do período Paleolítico.

Quando utilizo as runas em forma de oráculo, percebo que dificuldades e bloqueios que se revelavam no início da consulta são amenizados, pelo simples fato de lançá-las na mandala.

Qualquer runa que surge invertida, pode transformar-se em energia positiva se acionarmos seu poder original.

O ideal é que busquemos a razão raiz do problema para purificar a questão.

Essa limpeza pode ser feita de várias maneiras:

por meio do pêndulo, pedras e cristais, banhos de ervas,  florais, inscrevendo as runas corretas num gráfico radiestésico ou num círculo de poder,  por meio de mantras,  orações e decretos,  fazendo conexões junto da natureza, utilizando cromoterapia,  aromaterapia, etc.

O mais importante é que se tenha consciência da necessidade de resolver o problema dentro de nós.

Penso que a principal função de um oráculo é o autoconhecimento, permitindo-nos descobrir nossos reais talentos, nossas dificuldades, onde estão nossas alegrias e qual nosso caminho nesta aventura que é viver neste lindo planeta.

Carmo Tavares

Oráculo

ptrQuando utilizo as runas em forma de oráculo, percebo que dificuldades e bloqueios que se revelavam no início da consulta são amenizados, pelo simples fato de lançá-las na mandala.

Qualquer runa que surge invertida, pode transformar-se em energia positiva se acionarmos seu poder original.

O ideal é que busquemos a razão raiz do problema para purificar a questão.

Essa limpeza pode ser feita de várias maneiras:

por meio do pêndulo, pedras e cristais, banhos de ervas, florais, inscrevendo as runas corretas num gráfico radiestésico ou num círculo de poder, por meio de mantras, orações e decretos, fazendo conexões junto da natureza, utilizando cromoterapia,  aromaterapia, etc.

O mais importante é que se tenha consciência da necessidade de revolver o problema dentro de nós.

Penso que a principal função de um oráculo é o autoconhecimento, permitindo-nos descobrir nossos reais talentos, nossas dificuldades, onde estão nossas alegrias e qual nosso caminho nesta aventura que é viver neste lindo planeta.

O poder das runas

Alfabeto construído a partir de inscrições rupestres, as Runas revelam-se autênticos ideogramas.
Podemos dizer que fazem parte da geometria sagrada pois emitem ondas eletromagnéticas e despertam as energias da terra, do espírito dos animais totêmicos, das árvores sagradas, do sol e da chuva e também do fogo, das águas e dos ventos.
O simples fato de escrever um nome em caracteres rúnicos , auxilia no processo de cura, limpeza e energização do ser.